sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Feliz Natal


É com muita alegria que também nos unimos às vozes dos Anjos e fazemos parte deste anuncio maravilhoso.

Nasceu Jesus Cristo, o pequeno grande Filho de Deus!

Que cada um de nós possa abrir o seu coração para que Ele possa permanecer e ajudar-nos em todos os dias da nossa vida, a nascermos também para Ele.

Votos de um Feliz Natal e um próspero Ano 2012

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Vem Senhor Jesus!

Vem Senhor Jesus!
- o nosso coração espera por ti -


"Vem Senhor Jesus" é o mote do próximo encontro do Pré-Seminário de Portalegre - Castelo Branco.
Depois de no ultimo encontro os "caminhantes" terem estado por terras de Idanha a Nova a testemunhar a sua amizade com Jesus, é tempo de regressarmos ao espaço de sempre, o Seminário de São José em Alcaíns. 

O Advento caminha para o seu "fim" e por isso é tempo de prepararmos os nossos corações para acolher o menino Jesus que em breve quer nascer em nós. "Vem Senhor Jesus" é o grito que brota em cada um de nós, neste desejo de encontro com Jesus. 

O próximo encontro será no fim de semana do dia 17 e 18 de Dezembro.
Terá o seu inicio pelas 10.30 de Sábado e terminará com o almoço de Domingo.

Se tens idade igual ou superior a 14 anos de idade e queres fazer uma experiência, com outros rapazes, de descoberta de Jesus e dos desafios que Ele tem para ti, inscreve-te neste encontro através do pároco da tua paróquia. Ou então, já sabes, podes inscreve-te pelo nosso e.mail [  ]ou através do nosso blog!

Marca a tua presença até à próxima quinta feira e nós contamos-te um pouco mais...

Esperamos por ti!

Inscreve-te e vive este mistério!



sábado, 3 de dezembro de 2011

JoVeNs... tEsTeMuNhaS... Nos braços da Senhora do Almortão

O encontro passado do Pré-Seminário era dedicado ao testemunho!
Por isso "fomos" ao encontro dos jovens do Arciprestado de Castelo Branco participar numa actividade em que o horizonte era a Evangelização e por isso o testemunho.


Devido aos muitos exames, para os quais era necessário estudar, o numero de inscritos foi muito reduzido o que impossibilitou a realização das actividades programadas para o fim de semana.

Mas os poucos inscritos não esmoreceram, apesar de não haver encontro, o Pré-Seminário esteve presente com os jovens do Arciprestado na actividade de Idanha-a-Nova. O Rúben, jovem do arciprestado de Castelo Branco, estava inscrito na JAJ e participou carimbando a presença do Pré-Seminário. 


O encontro teve inicio no forum (espaço dedicado à cultura da região) de Idanha-a-Nova!
Iniciamos com uns cânticos, umas dinâmicas de jogo à qual se seguiu os "ecos" das Jornadas Mundiais da Juventude, com algumas mensagem do Papa Bento XVI e algumas fotos do grupo de Portugueses que participou com a Pastoral Juvenil e Vocacional. Seguiu-se um tema/diálogo sobre Evangelizar/Evangelização e para terminar a manhã, duas Voluntárias permanentes da Comunidade de Taizé, em França, contaram um pouco da sua história de vida relacionada com a Espiritualidade de Taizé.


Depois do almoço, nos arredores da Igreja de Idanha, no cimo do miradouro onde se conviveu, jogou..., seguimos em peregrinação ao Santuário da Nossa Senhora do Almortão, onde depois de uns passos valentes, o Pe.Adelino, responsável pelo santuário, deu a conhecer alguns aspecto do presente Santuário. Ainda no fim da tarde, celebramos a Eucaristia sob o olhar materno de Maria!

Depois do jantar viveu-se um momento de oração ao pés de Maria, a Mãe de Deus. Uma vigília de oração ao "estilo de Taizé" que nos ajudou a permanecer naqueles últimos instantes perto de Deus a recordar o dia que passou. 


No fim ficou amizades, sorrisos e histórias para contar... onde o testemunho de cada um se revelou ser um dos caminhos para pensar a amizade com Jesus. 

Entre Jovens... testemunha! Não pares!

sábado, 19 de novembro de 2011

Entre jovens... TESTEMUNHA


Os dias vão passando e por isso aproxima-se o próximo encontro do Pré-Seminário Diocesano de Portalegre-Castelo Branco. Mais uma vez, serão dois dias de fortes momentso de boa disposição, alegria e oração.

O encontro realizar-se-à nos dias 26 e 27 de Novembro 2011.
Será um encontro diferente... pois iremos sair bem cedo e chegar bem tarde!

Tudo pela causa juvenil... "entre jovens, Testemunha" é o tema do nosso encontro... por isso, se quiseres testemunhar a tua alegria e amizade com Cristo, junta-me a nós!

Inscreve-te no nosso blog ou então pelo nosso e.mail: pre.seminario.ptcb@gmaill.com.

Com a inscrição terás novas informações acerca do necessário para te juntares a nós e participares neste encontro! Para participares tens que ter mais de 14 anos e ao mesmo tempo muita vontade de conhecer Jesus e a sua vida!

Esperamos por ti... Vem e aceita ser testemunha de Jesus!

sábado, 5 de novembro de 2011

TOMAI, SENHOR, A MINHA VIDA

- O retorno dos dons recebidos -
Semana dos Seminários 2011

A Igreja celebra entre os dias 6 e 13 de Novembro a Semana dos Seminários que, este ano, chama a atenção para a necessidade de formar pastores consagrados totalmente a Deus e ao seu Povo.

A nossa Diocese tem assistido, nos últimos anos, à brutal diminuição do número de Seminaristas e do número e capacidade de trabalho dos Sacerdotes. Diminui o número de Sacerdotes e aumenta, consequentemente, o tipo e a extensão do trabalho de cada Padre. Quanto aos Seminaristas, temos actualmente três no Seminário maior (o André no tempo propedêutico, o Miguel Coelho no 1º ano de Teologia e o Miguel Serra no 2º ano) e cerca de quinze pré-seminaristas.

Como Diocese somos uma Igreja que, inequivocamente, tem contado com os seus Pastores consagrados totalmente a Deus e ao seu Povo. Acumulando e conjugando trabalhos, os nossos Padres têm conseguido, embora com reorganizações constantes e sucessivas, levar a todas as Comunidades a celebração da Eucaristia e o sabor sacramental do perdão de Deus.
Nos últimos anos, consciente, por um lado, da mudança de paradigmas existenciais e culturais e, por outro, da missão sacramental da Igreja, a nossa Diocese tem tentado implementar uma “cultura de vocação” sensibilizando os Sacerdotes, as comunidades cristãs, as famílias, os movimentos e organismos diversos para a construção de uma relação de complementaridade do compromisso cristão no trabalho vocacional. É essa complementaridade que se revela absolutamente urgente e incontornável. Complementaridade, aliás, que, em boa experiência de Igreja, se chama comunhão e se constrói com atitudes como o dom de si mesmo, a unidade, a autenticidade, a transparência e a verdade dos processos de evangelização. Não há soluções feitas, mas existem caminhos. Dentro da relação de complementaridade e comunhão, existem, por isso mesmo, imensos desafios e reptos que, por natureza, pesam sobre cada sector e organismo da vida da Igreja diocesana.  

A beleza do Sacerdócio ministerial revela-se, na Igreja, com uma identidade e missão próprias. Cada Sacerdote vive o seu Sacerdócio emprestando-lhe características pessoais muito próprias em capacidades e limitações, mas sabendo que “transporta um tesouro em vasos de barro” e que, por isso, permanentemente tem de se referenciar à Fonte de todo o Sacerdócio, Jesus Cristo e a Igreja. Em rigor, e em nome da honestidade intelectual, não há lugar para a redução da identidade e missão do Padre a sucedâneos de opinião subjectivista que acabam por não ter força de chamamento porque não são portadores de projecto de vida. O que chama, porque tem beleza, é a fidelidade vivida como verdadeira profecia, essa fidelidade cujo nome na história é o amor e que dá forma à espontaneidade e à liberdade (Tudo me é permitido mas nem tudo me faz bem e me constrói). Só isso será uma ajuda para os que se sentem inquietos vocacionalmente. Só isso lhes valerá um projecto que agarra a vida toda, inteira, e nada deixa de fora, seguir Jesus Cristo. Não se dá a vida por qualquer coisa, muito menos hoje.

É, por isso, urgente e indispensável, enquanto cristãos, abrir o coração e a inteligência à compreensão e interiorização da identidade e missão próprias do Padre.

Dentro da mesma complementaridade do compromisso cristão no trabalho vocacional, encontramos as comunidades cristãs. São o contexto e o horizonte do surgimento das vocações, a Igreja viva nas nossas localidades. A, já há muitos anos, chamada “hora dos leigos” não pode significar apenas uma afirmação contra a que teria sido outrora a “hora dos padres”. Complementares uma da outra, estas vocações dizem, sobretudo, que esta é a “hora da Igreja”! E é dentro da raíz baptismal que nos faz Povo de Deus, Igreja viva, que são chamados os Sacerdotes para, por consagração, servirem os caminhos da fé dos seus irmãos baptizados.

Não aceitar o chamamento ao Sacerdócio (não querer ser Padre) e, ao mesmo tempo “clericalizar-se” enquanto leigo é absolutamente anacrónico. E, por carência de vocações sacerdotais, entrar num horizonte de absoluto relativismo na compreensão, identificação e vivência dos diversos ministérios e serviços eclesiais, é caminho de ambiguidade que não serve Cristo nem a Igreja. Os ministérios e carismas são para serviço e bem da comunidade e, nesse sentido, embora diferentes não se anulam, antes agem na construção da comunhão. É, por isso, prioritário que mesmo as comunidades onde já não existe Eucaristia todos os Domingos tentem perceber a relação existente entre o Presbítero e a Comunidade eucarística. É necessário perceber que um diácono, um ministro da comunhão e um padre, verdadeiras vocações, não são a mesma coisa e que a diferença que os distingue não é uma questão de “grau” nem apenas de jeito. 

Na mesma complementaridade eclesial do trabalho vocacional, a família desempenha também um papel central. Não obstante todas as mudanças e alterações de paradigmas nos ambientes familiares, a família continua a ser o melhor contexto e horizonte de transmissão da fé e dos valores. E, num tempo de tanta atenção às liberdades e gostos pessoais, era muito importante as nossas famílias cristãs, juntamente com todas as outras possibilidades de realização, pesarem a possibilidade do sacerdócio como caminho dos seus filhos. Não se trata de “oferecer os filhos” sem contemplar as suas vocações e a sua liberdade, trata-se de criar um ambiente onde a consagração é tão natural como ser cristão. Um ambiente familiar que obrigue os filhos a “ir à Missa” mas, ao mesmo tempo, lhes impeça a Catequese, o Pré-Seminário e os diversos grupos ou organismos de participação comunitária, pode tornar-se degradante da própria fé e do sentido de Igreja.

A complementaridade na construção da cultura vocacional integra também os diversos movimentos e organismos que vivem e agem nas nossas comunidades cristãs e na nossa Diocese. São, por natureza, motores de vida cristã. E, pelos carismas próprios, chegam onde, muitas vezes, as comunidades paroquiais não conseguem chegar. Têm uma outra capacidade de acolhimento e de personalização dos relacionamentos e vivem a experiência da caminhada comum.

Embora respeitando sempre a identidade carismática de cada chamamento e de vocação na Igreja, o desafio que a hora presente faz aos diversos movimentos e organismos é o da consciência das consequências da comunhão. A Diocese e os seus serviços são campo de missão e esta hora pede, pela urgência da missão, o retorno dos dons de que se tem usufruído. Quando os movimentos de Igreja se deixam reduzir a “associacionismos”, então começam a reportar a estruturas supra-diocesanas que acabam por ter mais “autoridade” do que a Igreja local a que pertencem. O risco é o do progressivo esvaziamento das comunidades e de uma relativização da corresponsabilidade eclesial com a Diocese (que ao limite continua a ser quem tem a responsabilidade de fornecer instrumentos de vida cristã a todos os baptizados, incluindo os próprios Pastores). Quem não junta ... dispersa.

Semana dos Seminários é, por tudo isto, um excelente contexto de reflexão e de partilha. É fundamental hoje valorizar o Pré-Seminário diocesano, saber e conhecer as datas dos seus encontros e actividades; é fundamental promover uma estreita ligação e colaboração entre as Comunidades paroquiais e o Secretariado da Juventude e Vocações; é necessário valorizar a Liturgia da Paróquia – nomeadamente a Eucaristia e a Reconciliação - como contexto vocacional onde Deus fala e é acolhido; é necessário promover a oração pelos seminaristas e pré-seminaristas bem como pelas vocações em geral; é necessário referir e sublinhar o testemunho de Sacerdotes que tenham ajudado a construir a comunidade; é fundamental sublinhar a naturalidade e o sentido do “ser padre”; é necessário contactar pessoal e directamente algum ou vários rapazes no contexto da Paróquia e dos seus grupos ou actividades e propor-lhe o Sacerdócio.

É por esta ocasião que muitos cristãos participam com ofertas para a formação dos seus Seminaristas. Mas o desafio vais mais longe e pede que os cristãos, todos, ofereçam também a sua oração, o seu compromisso e a sua colaboração. Estamos em Sínodo e agrande ajuda da sinodalidade na Igreja é a de animar e nortear a avaliação do desempenho da própria Igreja e de regular a vida diocesana. O Sínodo na Igreja é um instrumento que promove, sobretudo, uma melhor e mais adequada planificação da acção evangelizadora para uma melhor concretização da missão de toda a Igreja: consolidação do tecido organizacional; adequação dos processos da evangelização e do Clero à nova realidade social (inculturação); actualização da prática religiosa como passagem de uma piedade privada e individual a uma espiritualidade e piedade litúrgica e comunitária; revitalização do tecido eclesial em geral: repartição de tarefas, análise de contextos, motivação à participação de todos com o que lhes é específico.

As vocações sacerdotais são, neste momento e na nossa Diocese, uma causa prioritária e fundamental. Peçamos ao Senhor, rezando, nos conceda as vocações sacerdotais de que a Igreja diocesana e o mundo tanto necessitam. E peçamos que as nossas famílias e comunidades sejam o campo fértil onde as vocações possam germinar.
 
p. Emanuel Matos Silva
Reitor do Seminário Diocesano de Portalegre-Castelo Branco

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Um novo inicio... o mesmo fim: JESUS CRISTO

As actividades do Pré-Seminário Diocesano de Portalegre - Castelo Branco tiveram finalmente o seu inicio.
Nos dias 29 e 30 de Outubro reuniram-se no Seminário de São José de Alcaíns oito rapazes dos vários cantos da nossa Diocese. Alcaíns, Alvega, Castelo Branco, Mouriscas e Portalegre! 

O nosso encontro teve como tema, "Um novo inicio... o mesmo fim: JESUS CRISTO."
Iniciamos e projectamos um novo ano com novas actividades e com algumas novidades. No entanto no nosso horizonte permanece o mesmo desafio: Jesus Cristo. A Sua Palavra, os Seus desafios e as interrogações vocacionais próprias de quem procura conhecer Jesus Cristo e dedicar toda a sua vida a Deus.


Depois das boas vindas aos dois novos rapazes que vieram de Portalegre, o João e o Simão, iniciamos as actividades com a já tradicional manha de desporto! Depois do almoço, estivemos a projectar e programar algumas actividades para os próximos encontros. Como sempre um momento de reflexão onde dialogamos acerca da importância de Jesus como o "alicerce" das nossas vidas e a sua importância para a construção de cada um de nós! No fim da tarde ainda houve tempo para um torneio de Ping Pong. A noite terminou com a sessão das 21.30, com um filme para nos divertirmos e aprofundar os laços de amizade que vão brotando em nós.


No Domingo, a manhã foi dedicada a uma maior cumplicidade com Deus! Entre musicas e jogos demos uma especial atenção ao diálogo e à partilha de vida de cada um, onde tivemos presente os trabalhos da tarde do Sábado e as leituras da Eucaristia Dominical. Seguiu-se um ensaio de cânticos para a Eucaristia que celebramos no final da manhã. Depois foi almoçar e regressar as nossas casas.


Uma das novidades deste ano dos nossos encontros do Pré-Seminário Diocesano é a presença de dois novos colaboradores; o Manuel António e o Ricardo Farinha que farão parte da equipa do Pré-Seminário diocesano para o ano de 2011|2012. Serão com toda a certeza uma mais valia para o grupo e para este dinamismo diocesano. 


A nossa meta? Jesus Cristo.
A todos o nosso Bem-haja!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

“Grita o Dom que Deus revela em ti” (Encontros do Pré-Seminário Diocesano)



Os dons que Deus coloca nas nossas vidas, de maneira nenhuma devem ser guardados e fechados em nós mesmos. Deus dá-nos gratuitamente muitos dons para que possamos, a partir deles, crescer no conhecimento da nossa vida, de quem somos e para onde vamos. Deus dá-nos gratuitamente muitos dons para que possamos crescer no conhecimento da Igreja de Jesus, da Sua vida, para uma melhor entrega e seguimento. Um seguimento que para uns se manifesta na entrega das vivências normais da vida mas, para outros, num seguimento que se manifesta de modo mais radical e total, passando pela doação da própria vida por amor de Jesus Cristo e da Sua Igreja. São estes dons em nós que nos fortalecem e nos projectam para um “amanhã” mais rico e mais esperançoso no serviço daqueles que mais precisam de nós, mas acima de tudo, mais precisam de Deus.

E é neste desejo de que os nossos dons cresçam, se fortaleçam e se manifestem no amor a Deus e no serviço ao próximo que retomamos os encontros do Pré-Seminário Diocesano. Este novo ano de encontros, que terá o seu início nos dias 29 e 30 de Outubro, assumirá um tema geral para os próximos três anos. Como sabemos, a nossa Diocese de Portalegre – Castelo Branco encontra-se em caminhada sinodal com o tema geral O dom está em ti, e por isso mesmo também nós, jovens rapazes diocesanos, queremos fazer parte desse caminho; também nós queremos descobrir os nossos dons e revelá-los a quem nos rodeia. Mais! Queremos descobrir que dons Deus confia a cada um de nós para os podermos “gritar e testemunhar” a todos quantos fazem parte das nossas vidas. No desejo de caminharmos cada vez mais perto com os “nossos diocesanos sinodais”, também assumimos um tema para o nosso primeiro ano, que será mote para os nossos encontros, à semelhança do que acontece com os caminhos do Sínodo, em que para este ano, se deseja uma reflexão profunda sobre a temática “Evangelização e Igreja no Mundo”.

Partindo do tema “Vive os teus talentos no mundo e mostra Jesus Cristo”, iremos procurar pautar os nossos encontros neste primeiro ano pela comunhão com a caminhada sinodal, o nosso bispo e toda a diocese, de modo a olharmos a nossa realidade de vida como seguidores e curiosos por Jesus e assumirmos, à medida da nossa juventude, caminhos para melhor conhecemos e vivermos a pessoa de Jesus, o nosso papel na Igreja, de modo a melhor testemunharmos Jesus Cristo e o seu Evangelho. Desejamos que os nossos encontros sejam caminhos para Jesus na descoberta de quem somos, que dons possuímos e que missão nos chama Jesus Cristo a realizar no mundo. Quem é Jesus Cristo? Que vocação brota dos nossos talentos? Que caminhos Jesus nos desafia a fazer? De que modo podemos ajudar a nossa Igreja Diocesana? Questões que têm na sua raiz a interrogação que nos puxa e nos motiva a participar nos encontros do Pré-Seminário Diocesano: Porque não ser Padre?

Neste desejo de caminhar, descobrir, interrogar, rezar, jogar, passear, conhecer, surpreender, partilhar, festejar, divertir, desafiar… e muitos outros “ar’s”, contamos com a presença dos jovens rapazes (com idade mínima de 14 anos) da nossa Diocese de Portalegre – Castelo Branco para que, com outros, possam caminhar e descobrir que dons habitam em cada um. Só quem vive consciente dos dons pode viver os talentos que Deus coloca no mais profundo de si mesmo e mostrar a força e o impacto que o rosto e a vida de Jesus fazem brotar nas suas vidas!

Mostra o teu dom!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Outubro é sinónimo de novas aventuras!


Com o fim do Verão chegam novos desafios às nossas vidas!
Terminaram as férias! Depois do merecido descanso é tempo de acolher as novidades e as surpresas de mais um ano.

A escola...a catequese e claro, entre outros, também os encontros do Pré-Seminário da nossa Diocese, Portalegre - Castelo Branco retomarão o seu ritmo!

Assim sendo, fica desde já o convite a que todos os rapazes com idade superior a 14 anos, a fiquem atentos às novidades que em breve irão surgir no nosso blog. 

Os encontros vão recomeçar... 
Não guardes para ti esta novidade...
Vem ver e viver esta aventura!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

PADRE PARA A NOSSA DIOCESE


PADRE PARA A NOSSA DIOCESE
Ordenação Sacerdotal – Desafio aos Padres e aos Jovens

O próximo dia 18 de Setembro é dia de profundo significado para a nossa Diocese. Pela oração e imposição das mãos do nosso Bispo rodeado do seu Presbitério e pela oração da Igreja na multiplicidade da sua expressão, o agora Diác. Nuno Miguel será ordenado Presbítero (Padre) para o serviço da nossa Diocese.

No momento actual da nossa vida diocesana, a ordenação de um Presbítero é momento intenso de acção de graças ao Bom Pastor e é, incontornavelmente, ocasião favorável para os Presbíteros reavivarmos o dom do nosso ministério e fazermos, renovadamente, da nossa identidade e missão uma oferta agradável a Deus e à Igreja.

O que faz, no tempo actual, avançar um jovem de trinta anos no caminho do Sacerdócio e na nossa Diocese? Seguramente contar-se-ão muitas razões e muitos sentimentos. Existe um, contudo, como alicerce e como caminho, que não pode faltar: quem aprende a passar da “vontade de ser amado” para a “vontade de servir” sente-se crescer e é capaz de sintonizar e comungar com projectos que não são apenas seus e para si. E quem aprende a “vontade de servir” amadurece e aprende também que a vida só ganha sentido quando se procura sentido para a vida. É nesse horizonte que Jesus Cristo, como Pessoa e como sentido para a vida, cativa e acompanha os que se deixam cativar e acompanhar nos seus passos. É sempre fabulosa a vida de quem se sente a caminhar com os seus próprios pés numa história que não começou apenas em si e não acabará consigo. É quando a inquietação se transforma em confiança (fé) e ambas desabrocham na gratidão, que a pessoa está capaz de se entregar para um projecto que não tem apenas as suas medidas humanas mas que, nem por isso, deixa de ser precisamente para homens. E Jesus e a Igreja valem a pena e, sobretudo, valem a vida!

O que podem os outros fazer por mim? É a interrogação mais comum e é própria do nosso tempo em que, literalmente, substituímos a pergunta “o que é verdade?” pela simples inquirição de “como posso viver bem?”. Mas essa interrogação é própria apenas de quem ainda só tem “vontade de ser amado”. Para crescer é preciso aprender a ter “vontade de servir” ou seja, é preciso começar a perguntar-se “o que posso fazer eu pelos outros?”. É isso que faz possíveis os grandes projectos de vida. Só quem aceita fazer esse crescimento aceita ser chamado.

Ser Padre é um grande projecto de vida. Radical. Não no sentido habitual e costumeiro dos ditos grandes projectos ou feitos arriscados: não se dá muito nas vistas como instância social incontornável, não se brilha como centro aonde todos buscam a opinião para a vida, não se é tido em conta quando se projecta o mundo, sai-se ridicularizado de muitos processos adjectivados de “contemporâneos”, etc, etc. Mas tem-se uma vocação única que, aliás, é tão constitutiva da vocação sacerdotal como o foi da vida e da Cruz de Jesus: a insignificância, ser insignificante, “inútil” como diz o Evangelho para nos lembrar que não é o utilitarismo social, pessoal, institucional, financeiro que nos move quando somos de Cristo. Aliás, parece que as coisas importantes da vida como é a verdade, o respeito mútuo, a justiça, a caridade, a própria vida, passaram a dizer-se baixinho, quase em segredo, como sendo insignificantes. Contraditoriamente insignificantes. Haverá então maior desafio do que o de ser “ousada e significativamente insignificante” celebrando a Eucaristia como memorial do Amor de Deus pela humanidade, acompanhando o caminhar de tantos irmãos, oferecendo por ministério os dons de Deus à mesma humanidade nos Sacramentos, ansiando pela verdade?!

O que faz um jovem querer ser Padre?! O facto de ter permitido que a sua “vontade de servir” fosse cativada por Jesus Cristo como projecto de vida! “Vem e segue-Me” continua Jesus a dizer a tantos. O que será preciso para ter hoje a coragem de ser insignificante, “ousada e significativamente insignificante”?!

 p. Emanuel Matos Silva

Reitor do Seminário Diocesano

domingo, 28 de agosto de 2011

Aos jovens Portugueses...


"... convido cada um e cada uma de vós a estabelecer um diálogo pessoal com Cristo, expondo-Lhe as próprias dúvidas e sobretudo escutando-O. O Senhor está aqui e chama-te! Jovens amigos, vale a pena ouvir dentro de nós a Palavra de Jesus e caminhar seguindo os seus passos. Pedi ao Senhor que vos ajude a descobrir a vossa vocação na vida e na Igreja, e a perseverar nela com alegria e fidelidade, sabendo que Ele nunca vos abandona nem atraiçoa! Ele está connosco até ao fim do mundo"


 Papa Bento XVI aos jovens  Portugueses nas JMJ Madrid 2011 

quinta-feira, 21 de julho de 2011

… de férias, mas com Jesus no coração!



O pré-seminário diocesano iniciou a sua pausa habitual de verão! Os rapazes iniciaram as férias das muitas actividades em que se encontram envolvidos, e assim sendo, também férias dos encontros do pré-seminário. Por isso mesmo, esta pausa dos encontros dar-nos-á algum tempo para avaliar o trabalho que se fez e pensar nos novos desafios a apresentar no próximo ano pastora!

O lema, escolhido pelos rapazes para as actividades do ano 2010|2011 foi desde logo um forte estímulo para que as actividades fossem vividas com espírito de alegria e animação. “Jesus Cristo claro que sim” foi o lema escolhido. È uma música do Padre Paulo Vaz, da diocese de Coimbra, e que nos foi acompanhando ao longo dos nossos encontros e também dos encontros em que participamos com outros jovens ao longo do ano. O que motivou os rapazes a escolherem esta música como lema para o presente ano, foi o reconhecimento de que nela estava presente o desejo de caminhar, interrogar e de ser mais amigo de Jesus. Sentiram na letra da música do padre Paulo Vaz que a presença de Jesus, quando se torna mais forte, ajuda à compreensão daquilo que Jesus verdadeiramente deseja para cada um.

Nas nossas actividades deste ano, estiveram presentes cerca de 13 rapazes, com idades compreendidas entre os 14 aos 21 anos, vindos dos arciprestados de Abrantes, Castelo Branco, Ponte de Sôr e Portalegre! Os nossos encontros, alem da habitual e indispensável vertente musical, tiveram momentos de oração e encontro mais forte com Deus; momentos de reflexão e de trabalhos, quer pessoal quer individual; de desporto e jogo, especialmente de rua; de peregrinação e de passeio; de visitas culturais; de encontros com outros jovens; de cinema… e muito mais! Conversando entre todos, percebemos que os momentos mais marcantes teriam sido, e acabou por ser unânime, a festa de Natal, em que contamos com a presença das nossas famílias e amigos, e a visita a Portalegre, onde conhecemos o nosso seminário (Seminário da Imaculada Conceição) e onde estivemos um pouco com o nosso Bispo, o Senhor D. Antonino Dias. Igualmente importante, foi a passagem por algumas comunidades da nossa Diocese, ao longo do ano, com quem celebramos a Eucaristia Dominical e onde tivemos a oportunidade de dar a conhecer o nosso grupo, procurando o momento para convidar outros jovens a juntarem-se a nós e a participarem nas nossas actividades!

O acampamento de Verão foi o nosso último encontro. Teve o realização nos doso dias 18 a 21 de Julho nas paróquias de Alter do Chão e Crato. O acampamento teve como lema “de férias, mas sempre com Jesus no coração”. Das Paróquias de Alter do Chão e do Crato, coordenadas pelo Senhor Monsenhor Paulo Henriques e pelo Senhor Padre Rui Rodrigues, entre o que visitamos e conhecemos, destaque para a visita a Alter Pedroso, as raízes da Vila de Alter do Chão e do Castelo da mesma vila. Na Vila do Crato destacamos a visita ao Carmelo de St.Teresa, onde dialogamos e rezámos com as Irmãs, e ao Mosteiro da Flor da Rosa. Mas não se pense que foi só passear e fazer visitas… aproveitamos o tempo quente que se fez sentir naquelas terras de Alentejo, para dar uns mergulhos nas piscinas municipais do Crato.

Assim terminou mais um ano de actividades! O final de cada ano no pré-seminário é sempre vivido com muita alegria e amizade. É uma altura importante porque para os rapazes mais velhos, pois é chegado o tempo de dizerem sim (ou não) aos desafios concretos da parte de Deus para as suas vidas. É tempo de dar mais um passo nesta caminhada de discernimento nesta procura de “desejar ser” Padre Diocesano. É para todos nós uma enorme alegria ver estes rapazes seguirem para o seminário onde de certo farão uma experiência muito forte e muto diferente das que já viveram nas suas vidas. Uma experiência mais longa e igualmente mais forte nesta descoberta de Deus e da missão do Padre Diocesano. Sentimos serem para nós um sinal de grande esperança, um sinal de que o coração diocesano continua a bater. Este ano é a vez do André Beato de Nisa, continuar o seu caminho de interrogação e discernimento. Fa-lo-à em Lisboa, no Seminário de São José de Caparide, onde continuará a sua caminhada, juntando-se aos rapazes da nossa Diocese que já lá se encontram. São eles o Miguel Serra também de Nisa, que irá frequentar o segundo ano do curso de Teologia, e o Miguel Coelho de Montalvo, que irá frequentar o primeiro ano do curso de Teologia. Á semelhança do André, também eles nos últimos anos frequentaram e fizeram parte das actividades do pré-seminário na nossa diocese!

Entre facilidades e dificuldades próprias de quem se faz ao caminho na procura daquilo que Deus deseja para as suas vidas, vamos caminhando com a esperança de que outros rapazes vejam no testemunho destes rapazes (nos mais novos que se encontram em pré-seminário e nos mais velhos que se encontram no seminário maior) a alegria de quem opta por seguir Jesus de um modo mais radical, de modo a interrogarem-se sobre o porquê dessa alegria e o porquê das suas opções. No próximo ano, com a naturalidade de quem descobre o seu caminho, alguns rapazes seguirão por outros caminhos e o grupo tornar-se-á mais curto, e do mesmo modo guiamos a esperança de que novos rapazes possam desejar fazer a experiência do Pré-Seminário Diocesano. Para que o grupo dos rapazes do pré-seminário diocesano continue a crescer, acreditamos que o testemunho dos nossos padres e dos nossos rapazes em seminários são fundamentais. Do mesmo modo, são fundamentais os desafios que eles recebem das paróquias; da educação cristã que recebem das suas famílias; o apoio e o incentivo que brota das próprias comunidades cristãs; e da presença forte e amiga de quem tem um papel fundamental na vida de cada um deles. Desejamos que este grupo cresça…  

Todos nos sentimos muito agradecidos por tudo o que fizemos e vivemos durante as actividades deste ano. Dialogando e olhando para o que vivemos, destacávamos a oração que fomos sentido na nossa caminhada. Por isso queremos agradecer desde já a todas as pessoas que se fizeram (e continuam a fazer) presentes entre nós, através da força da oração pelas vocações e pelo pré-seminário. Agradecer a todos os familiares e amigos que passaram pelos nossos encontros e nos incentivaram a continuarmos os nossos caminhos de descoberta. Agradecer aos párocos e comunidades por onde passamos e com quem convivemos, pela alegria com que sempre nos acolheram e nos desafiaram a uma presença mais assídua entre eles. Agradecer a todos os párocos e amigos que tornaram possível a participação de todos os rapazes… Agradecer… é o sentimento que perdura… acima de tudo, porque é por Ele que nos reunimos e nos questionamos. Agradecer a Deus pela sua constante presença em tudo o que fizemos, por tudo aquilo que nos ajudou a descobrir e pelas alegrias e dons que fomos reconhecendo ao longo de todo este ano!

Agora as férias! Mas sempre com Jesus no coração!   

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Oração do Pré - seminarista PtCb


Jesus, voz de Deus Pai,
que chamaste e desafiastes os apóstolos a seguirem-Te,
ajuda-nos a nós, jovens do hoje, a abrirmos os nossos corações a esse mesmo desafio, de modo a podermos sentir a alegria da entrega de uma vida toda ao serviço da Tua Igreja.

A Ti pedimos que, continues a tornar-Te presente nos nossos caminhos. Na família, entre os nossos amigos e em toda as expressões da nossa vida. Que a Tua voz seja sempre ouvida por cada um de nós e nos leve a responder sim aos desafios que nos lanças.

No sentir dos medos, das dúvidas e das inseguranças que sentimos muitas vezes, consigamos sempre sentir a Tua Luz que ilumina, que guia e fortalece os nossos passos.

Que a Tua voz e a Tua luz nos dêem a força e a coragem para sermos sempre fiéis àquilo que desejas para cada um de nós!

terça-feira, 28 de junho de 2011

Preparando o amanhã...!

O encontro do Pré - Seminário Diocesano da diocese de Portalegre - Castelo Branco que se realizou no Sábado passado (dia 25 de Junho), no Seminário de São José em Alcaíns, foi especial! Era nosso desejo apresentar e acolher os candidatos para o grupo do Pré - Seminário do ano Pastoral 2011| 2012.

Deste modo, procuramos "construir" o encontro dos candidatos, de modo a dar-lhes a conhecer o que é o Pré - Seminário Diocesano, quem são os jovens que "hoje" participam nele e o que o fazem quando se reúnem.
Foi um sucesso!  
Desde já, queremos dar as boas vindas e agradecer a presença dos candidatos que apareceram (poucos é certo) e que desde logo contribuíram para o bom ambiente que se viveu... dinâmicos, alegres e sempre disponíveis para participar.

Bem vindos... André Timóteo, da paróquia das Mouriscas, André Alves e David Matos, ambos da paróquia de São Facundo!

O encontro começou logo com a manhã de desporto! Jogamos futebol e depois uns jogos de Ping - Pong!
Seguiu-se a oração da manhã e depois o almoço.
Não poderíamos acolher os novos rapazes sem lhes mostrar e dar a conhecer um pouco da Vila de Alcaíns.
Assim, depois do almoço, seguiu-se um jogo de rua. Os rapazes, em várias (!) equipas, tinham em mãos a história e alguns dados (históricos, religiosos e sociais) mais significativos sobre a Vila de Alcaíns. Por azar, veio um vento forte (como se houvesse vento naquele dia!!!) que levou muitas das palavras do texto, tornando-o difícil de compreender. 

O desafio que propusemos era o de reconstruir o texto com a ajuda dos moradores e da visualização da Vila de Alcaíns. A prova foi superada! 
De regresso ao Seminário de São José continuamos o nosso encontro em versão "sala"! 
Umas músicas... uns PowerPoint's... um questionário... uns "mini filmes"... um trabalho de reflexão e, antes de irmos lanchar, um jogo para nos rirmos e descontrairmos. 
De regresso do lanche mostramos um pouco daquilo que fazíamos nos encontros do Pré - Seminário e ouvimos os testemunhos dos rapazes... era só para um ou dois rapazes darem testemunho, mas depois todos quiseram "dar uma palavrinha"...  Seguiu-se mais um filme e antes da oração e do jantar, preenchemos as fichas para frequentar os encontros do Pré - Seminário no próximo ano pastoral.
No final do jantar, terminamos o nosso encontro e regressamos às nossas casas... mas antes os "novos" pré - seminaristas assinaram o "Muro do Compromisso", aí sim, depois veio o "até breve"!

Foi um encontro muito dinâmico e muito forte!
Um encontro ideal antes de irmos de férias! 
O verão aperta... =) 

terça-feira, 31 de maio de 2011

Eu Vos amo, meu Deus!

«Eu Vos amo, meu Deus, e o meu único desejo é amar-Vos até o último suspiro da minha vida. Eu Vos amo, Deus infinitamente amável, e prefiro morrer amando-Vos a viver um só instante sem Vos amar. Eu Vos amo, Senhor, e a única graça que Vos peço é a de amar-Vos eternamente. Eu Vos amo, meu Deus, e desejo o céu para ter a felicidade de Vos amar perfeitamente. Eu Vos amo, meu Deus infinitamente bom, e temo o inferno porque lá não haverá nunca a consolação de Vos amar. Meu Deus, se a minha língua não Vos pode dizer a todo o momento que Vos amo, quero que o meu coração Vo-lo repita cada vez que respiro. Meu Deus, concedei-me a graça de sofrer amando-Vos e de Vos amar sofrendo. Eu Vos amo, meu divino Salvador, porque fostes crucificado por mim e porque me tendes aqui em baixo crucificado por Vós. Meu Deus, concedei-me a graça de morrer amando-Vos e de saber que Vos amo. Meu Deus, à medida que me aproximo do meu fim, concedei-me a graça de aumentar e aperfeiçoar o meu amor.»

S.João Maria Vianney - Padroeiro dos Sacerdotes

sábado, 21 de maio de 2011

Nos braços de Maria | Faça-se em mim segundo a Tua Palavra


Viva amigos!
No próximos dias 28 e 29 de Maio de 2011 estaremos à vossa espera no Seminário de S. José, em Alcaíns para mais um encontro do Pré-Seminário Diocesano! 


O mês de Maio tem a particularidade de ser um mês dedicado à mãe de Jesus. Por isso um dos desafios do próximo encontro será o de descobrir, à semelhança de Maria, qual o tesouro das nossas vidas! E que resposta dar para alcançar esse tesouro! Depois é só colocar-mo-nos nos braços de Maria!

“Sair de si” é a pérola preciosa das nossas vidas. E aquele que nunca saiu da concha ainda nem sequer viveu. Quanto mais dou, mais recebo. Quanto mais procuro entender, mais me compreendo a mim próprio. Quanto mais ajudo, mais sou ajudado. E quanto mais me perder em benefício dos outros, mais me encontro." 
Vasco Pinto Magalhães - Não há soluções, há caminhos. 

Não esquecer de levar roupa desportiva, animação, alegria... e uma grande dose de coragem! Atenção... Uma grande dose de CoRaGeM! 
Bora lá!
Assumamos a pérola das nossas vidas! 
Que o desejo de nos encontrar-mo-nos seja o nosso guia!

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Papa Bento XVI pede que se reze pelo nossos pastores

Disse o Santo Padre, o Papa Bento XVI, ao introduzir a oração do Regina Coeli no Domingo em que se festejava a na Festa do Bom Pastor e o Dia Mundial da Oração pelas Vocações : «Eu vos convido a uma especial oração pelos bispos - incluído o Bispo de Roma!» Depois o convite à oração de modo especial pelos pastores da Igreja (Bispos e Presbíteros) e também para aqueles que se formam e preparam para o ser no futuro (Diáconos e seminaristas, aos quais nós juntamos, os pré-seminaristas, alguns deles já decididos, de modo conscientes, e desejosos a iniciarem a sua caminhada formativa) desafiando-os à fidelidade e à sabedoria no desejo de que estes levem a "bom porto" a missão que lhe é, de modo maravilhoso, colocada em mãos! 

Numas das suas referências directas às questões vocacionais (Vida sacerdotal e Vida Religiosas), o Papa Bento XVI assumia que, «uma vocação realiza-se quando a pessoa sai "da sua vontade fechada, da sua ideia de auto-realização, para embrenhar-se noutra vontade, a de Deus, deixando-se guiar por ela», lembrando que, na sociedade em que vivemos, neste tempo em que os ruídos do mundo ofuscam com alguma facilidade a voz de Deus, cada comunidade deve permanecer atenta a todos os sinais vocacionais dos seus jovens, devendo as comunidades procurar, de igual modo, promover e cuidar dessas vocações de forma a que nelas se realize verdadeiramente a vontade de Deus.
Una-mo-nos deste modo às intenções do Santo Padre na oração e na promoção das vocações na nossa Igreja, principalmente na nossa Igreja Diocesana de Portalegre - Castelo Branco para que os "nossos" jovens tenham a coragem de "ir mais além" no conhecimento de Jesus Cristo e da Sua Igreja!
Bem - Haja

segunda-feira, 9 de maio de 2011

48ª Semana das Vocações | 8 a 15 de Maio 2011

"Propor as vocações na Igreja local"
Celebramos esta semana a 48º Semana de Oração pelas vocações na Igreja! O Santo Padre, o Papa Bento XVI alerta-nos, na sua mensagem para a semana das vocações, para a necessidade das famílias e das paróquias assumirem a sua missão de "apoio" no incentivo vocacional, assumindo Sua Santidade, que é necessário «encorajar e apoiar aqueles que mostram claros sinais de vocação à vida sacerdotal e à consagração religiosa»É portanto claro o apelo a que todos nós incentivemos os nossos jovens a permanecerem vigilantes para o chamamento de Deus! 

Sentimos que nas palavras do nosso Papa existe a referência a que é, principalmente neste tempo de maior "distracção e tribulação social" onde as propostas são variadas mas nem todas "semente de felicidade", que os dinamismos cristãos devem ter especial atenção aos jovens que sente o desejo de uma consagração radical a Deus e ao serviço da Igreja! Por isso diz-nos o Papa Bento XVI que «cada comunidade cristã, cada fiel, deveria assumir, conscientemente, o compromisso de promover as vocações»
As comunidades pedem padres para que as ajudem a seguir a Deus de modo mais fiel e perfeito! Então, devem elas mesmo entusiasmarem-se e entusiasmar os jovens para que o seu discernimento vocacional, a uma consagração a Deus e à Igreja, seja realizado num clima de alegria e paz de modo que o seu Sim a Deus seja natural e fecundo no realizar da sua missão!
Bento XVI refere que a Família e a Paróquia deve mesmo ajudar a que os jovens sejam mais próximos e amigos de Jesus! Elas têm um papel fundamental no crescimento dos jovens nas suas vidas de cristãos, elas devem ajudar os jovens na«amizade genuína e afectuosa com o Senhor, cultivada na oração pessoal e litúrgica; para aprenderem a escuta atenta e frutuosa da Palavra de Deus, através de uma familiaridade crescente com as Sagradas Escrituras». 
Continua o Papa alertando para a necessidade do desafio especificamente de cada "promotor" vocacional, todos aqueles que estão mais próximos dos jovens, a ajudarem os jovens a trilhar os caminhos da vida! Às Famílias pede-lhe que «sejam animadas pelo espírito de fé, de caridade e piedade, capazes de ajudar os filhos e as filhas a acolherem, com generosidade, o chamamento ao sacerdócio e à vida consagrada»; aos Sacerdotes apela a que estes «sejam capazes de dar um testemunho de comunhão com o Bispo e com os outros irmãos no sacerdócio» no desejo de que no testemunho sacerdotal os jovens se sintam seduzidos pela vida e pela missão do Padre na Igreja e no Mundo; aos Catequistas e Animadores desafia a que estes cultivem o «espírito dos adolescentes a si confiados», para que estes«possam sentir e seguir de bom grado a vocação divina»
Nos desafios que faz, o sucessor de Pedro, apela ainda aos Bispos a que impulsionem a promoções vocacional nas suas dioceses e cuidem de forma cuidadosa da escolha dos seus dinamizadores pois alerta que «Propor as vocações na Igreja local significa ter a coragem de indicar, através de uma pastoral vocacional atenta e adequada, este caminho exigente do seguimento de Cristo, que, rico de sentido, é capaz de envolver toda a vida».
Finalizando a Sua Mensagem, o Papa Bento XVI afirma que disponibilidade e a generosidade do serviço vocacional é um «sinal característico da vitalidade de uma Igreja local» convidando e desafiando as comunidades cristãs a testemunhar a sua «disponibilidade para dizer ‘sim' ao Senhor» de modo a ajudar e a encorajar aqueles que se sentem chamados por Deus a dizer SIM ao serviço da Messe.